Ir para o conteudo 1

A presidente da Dataprev, Christiane Edington, participou, nesta quarta-feira (5), do 5º Fórum IBGP de Governança de TI. Esta edição do evento debate liderança, estratégia e inovação, tema de painel que contou também com o diretor-presidente do Serpro, Caio Paes de Andrade, e com o sócio-diretor da RW3, braço enterprise da Google no Brasil, Roberto Florentino. O secretário de Gestão de Informações do Tribunal de Contas da União (TCU), Wesley Vaz, mediou o debate.

Se o foco é a colaboração, o digital é o meio mais propenso para que ela aconteça. Para Wesley Vaz, uma mesa com os dois principais executivos de TI do governo é uma oportunidade de debater também a transformação do país, que, na visão do secretário, passa pelo digital. E o papel da Dataprev é fundamental para que a transformação aconteça, defendeu Christiane Edingnton. “Não estamos falando apenas de um processo de TI, mas de rediscutir a função e a atuação do Estado. Estou entusiasmada de chegar ao governo neste momento porque muita coisa pode ser feita. Além disso, a qualidade dos profissionais da Dataprev não para de me surpreender”, apontou.

De acordo com Caio Paes de Andrade, é fácil superar o atraso se todos se empenharem para tirar o peso do Estado das costas do cidadão. Nesse sentido, os presidentes das duas empresas destacaram que, de maneira inédita, as instituições estão trabalhando colaborativamente. “O Serpro e a Dataprev trabalham para gerar o máximo valor para o Estado. Existe uma agenda de cooperação visando esse objetivo comum, então os serviços podem ser entregues pela Dataprev, pelo Serpro ou pelos dois. O que importa é a busca de eficiência nas entregas”, ponderou o diretor-presidente do Serpro.

Com desafios e uma visão de alta gestão da necessidade de transformar os serviços prestados pelo governo, Dataprev e Serpro seguem entregando soluções que vão além da tecnologia. “Estamos nos desafiando e pensando os serviços com a visão do cidadão, apresentando produtos que fazem sentido para ele. Nosso maior case atualmente é a transformação digital do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), projeto que passou de 3% de digitalização no fim de 2018 e chegará a 23% no fim de 2019. É o começo de um percurso maior que temos para percorrer”, concluiu Christiane Edington.

IBGP - O Instituto Brasileiro de Governança Pública é um centro de treinamento focado na capacitação de gestores, auditores e técnicos do setor público brasileiro. O instituto colabora com o aprimoramento da Governança Pública por meio da formação de profissionais, do incentivo à pesquisa e da integração entre o mercado e entidades governamentais.