Acompanhe a Dataprev

Dataprev 39 anosO foco da empresa é o desenvolvimento de sistemas em plataforma baixa para atender políticas públicas e a gestão de grandes bases de dados sociais

A Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) completa 39 anos nesta segunda-feira (4) com um perfil de atuação voltado à gestão de grandes bases de dados sociais e ao desenvolvimento de soluções de tecnologia da informação e comunicação (TIC) para apoiar políticas públicas. Passou a oferecer este ano serviços de hosting, e concluiu, este mês, a primeira implantação de ambiente para computação em nuvem, inicialmente destinada a atender demandas internas. Também está testando os primeiros protótipos de aplicações desenhadas para dispositivos móveis.

No Centro de Processamento Rio de Janeiro (CPRJ), a empresa começou, em 2013, a última das três grandes reformas para ampliação de seus data centers. A modernização do Centro de Processamento São Paulo (CPSP) será concluída até dezembro; a de Brasília (CPDF) ficou pronta em 2012; e a do CPRJ será entregue no ano que vem. Obras de ampliação e atualização tecnológica que representam investimentos da ordem de R$ 200 milhões e vão triplicar a capacidade total de processamento dos sites.

Infraestrutura mais poderosa e diversificação de produtos acompanham o aumento na carteira de clientes, que inclui, atualmente, além do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e do Ministério da Previdência Social (MPS), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a Receita Federal do Brasil (RFB), a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) e a maior parte das instituições financeiras em operação no país, que utilizam aplicações da Dataprev para consultas destinadas à concessão de crédito consignado.

Para atender as novas demandas, as unidades de desenvolvimento (UDs), responsáveis pela produção dos sistemas, foram criadas a partir de 2006 e experimentam um movimento de expansão constante. A mais recente delas foi inaugurada em abril de 2013, em Natal (RN), onde trabalham, atualmente, 75 programadores. No total, a empresa conta hoje com cinco unidades de desenvolvimento: além da UD de Natal, há unidades em Florianópolis (UDSC), Fortaleza (UDCE), em João Pessoa (UDPB) e no Rio de Janeiro (UDRJ), que reúnem um total de 555 profissionais de desenvolvimento. Essa força de trabalho especializada tem sido fundamental para o aumento da capacidade produtiva da empresa.

Processos de negócios e migração
O novo Sistema de Gestão de Pessoas do Governo Federal (Sigepe), que está sendo desenvolvido pelo consórcio formado pela Dataprev e pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), é um dos grandes projetos em curso. A solução vai substituir o Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape), com ferramentas de controle financeiro e de folha de pagamento para atender a toda a administração pública federal, ou seja, 1,6 milhão de servidores, aposentados, pensionistas de 280 órgãos e 1,2 mil unidades pagadoras do poder executivo. Contratado no segundo semestre de 2012, tem prazo de cinco anos para conclusão.

O consórcio foi uma das primeiras iniciativas dentro do novo Processo de Negócios Dataprev (PN-Dataprev), estruturado este ano para orientar, padronizar e documentar as atividades de relacionamento da empresa com seus clientes. A proposta de uma nova forma de se relacionar com o cliente reflete os efeitos da migração dos sistemas da Dataprev, que deixam os computadores de grande porte (mainframes) para rodarem agora em plataforma baixa. Uma ação estratégica, que vem sendo executada pela Dataprev nos últimos anos com objetivo de promover independência na relação com fornecedores e agilidade na oferta de soluções aos clientes. Os produtos que vêm sendo entregues pela empresa mudam o paradigma tecnológico e reduzem a dependência das tecnologias legadas, sobretudo no mainframe.

Até o final deste ano, a grande maioria dos sistemas baseados na tecnologia de mainframe, que predominou por mais de 20 anos, terá migrado para a plataforma baixa, promovendo uma profunda reformulação da forma de trabalho das equipes. No novo modelo instituído pelo PN-Dataprev, analistas de negócios e gerentes de conta respondem pelas demandas dos clientes junto às equipes de desenvolvimento, assegurando respostas mais rápidas e precisas.

O ciclo de bons resultados, já visíveis no ano passado, conferiu à Dataprev, pela primeira vez, o título de melhor empresa da categoria Indústria Digital, do ranking de 2013 da Edição Especial 40 Anos Exame Melhores & Maiores, publicada pela Editora Abril. Na edição 2013 do guia Época Negócios 360º, da Editora Globo, a Dataprev registrou avanços na pontuação atribuída aos itens desempenho financeiro (que tem o dobro do peso dos demais aspectos avaliados), governança corporativa, inovação e responsabilidade socioambiental, no ranking das 250 Melhores Empresas do país. Na classificação referente à inovação, deu um salto: do 118º lugar, em 2012, para o 48º, este ano.

Bases de dados para cidadania
Entre os diversos sistemas e bases de dados que a Dataprev mantém para apoio a políticas públicas de atendimento a direitos dos cidadãos, está o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), que, desde o início de 2009, permite a concessão de aposentadoria por tempo de contribuição e idade e também o salário-maternidade em até 30 minutos. Os computadores da Dataprev abrigam, apenas no CNIS, 216 milhões de informações cadastrais de pessoas físicas e jurídicas. Outro destaque é o SUB (Sistema Único de Benefícios), responsável pelo controle de todas as operações referentes a concessão e manutenção dos benefícios da Previdência Social, gerando mensalmente cerca de 30,7 milhões de aposentadorias, pensões e auxílios, em uma folha de pagamento no valor de aproximadamente R$ 39,3 bilhões/mês (dados de agosto de 2013).

Planejamento
As ações da Dataprev estão inseridas no Plano Estratégico 2010-2015. O documento estabelece diretrizes para a elaboração anual de planos de ação. Estruturalmente, o Plano de Ação 2013 define metas e resultados divididos em sete eixos: gestão e governança, pessoas, tecnologia e inovação, demandas prioritárias e negócios, infraestrutura física e patrimonial, segurança da informação e atendimento. Os planos de ação na Dataprev são concebidos mediante consulta a empregados, clientes e análises feitas pela diretoria.

A Dataprev, com sede em Brasília, tem 3,8 mil empregados, cinco unidades de desenvolvimento, 22 unidades regionais e cinco unidades de atendimento.