Ir para o conteudo 1

Auditório lotado no Seminário Internacional sobre Estimativas DemográficasCom o objetivo de debater a importância dos indicadores demográficos, essenciais para o desenvolvimento das políticas públicas do país, a Dataprev sedia nos dias 19 e 20/3 o Seminário Internacional sobre Estimativas Demográficas para Pequenas Áreas. O evento, organizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pelo Ministério da Saúde, acontece na sala multiúso do Edifício Waldir Pires, em Botafogo, no Rio de Janeiro, e reúne especialistas, demógrafos regionais e internacionais. Há representantes de países como Austrália, Estados Unidos, Colômbia, Peru e Equador.

Representando a Dataprev, o superintendente de Relacionamento e Gestão de Serviços (SURS), Gilmar Souza de Queiroz (nas fotos, o primeiro, da esquerda para a direita), deu as boas-vindas ao grupo e destacou ser uma honra colaborar com a organização do evento. Reafirmou que o tema tem interligação com a política social que a Dataprev ajuda a desenvolver para os programas estratégicos do governo. 

“A Dataprev atende a Previdência e outros órgãos do governo. Nossa vocação é muito focada na área social. A empresa é responsável pela guarda e gestão do Cadastro Nacional de Informações Sociais, que hoje armazena quase 30 bilhões de informações, e processa o pagamento mensal de 34,5 milhões de benefícios previdenciários. Além disso, tem papel relevante na coordenação das políticas de trabalho, como o pagamento do seguro-desemprego e a Intermediação de Mão de Obra (IMO)”, lembrou Gilmar.

Já Beatriz Garrido, assessora da SURS, explicou que o trabalho acontece há quase um ano e o objetivo é desenvolver um projeto por meio de uma parceria entre os três órgãos – Ministério da Saúde, Dataprev e IBGE – de captura de informações, desde o nascimento até a geração da estatística vital.

Já utilizado por mais de 95% dos cartórios brasileiros, o Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc), desenvolvido pela Dataprev para captação e tratamento dos dados dos registros civis de nascimento, casamento, óbito e natimorto, seria um dos elos dessa base de informações, segundo Beatriz. O sistema contribui para a erradicação de sub-registros no país e para a melhoria da qualidade e gestão das bases de dados governamentais.

“Esse é um trabalho muito conectado, que passa pelas informações do Ministério da Saúde e da Dataprev, por meio do Sirc, com as informações de registro civil e dos cartórios, até chegar ao IBGE, que formula as estatísticas e pesquisas. O que estamos tentando fazer é reunir os dados, fazendo sua interligação. São órgãos que têm as suas regras de negócio totalmente estabelecidas e consolidadas há muitos anos. Só de estarem trocando ideias e informações já é um grande passo”, concluiu a assessora.