Acompanhe a Dataprev

No edifício-sede, em Brasília, o faxinaço incluiu vistoria em vasos de plantas, que podem se tornar foco do mosquitoO Governo Federal promoveu, de 29 de janeiro a 4 de fevereiro, um mutirão em empresas e instituições públicas com o objetivo de eliminar  os focos do  mosquito Aedes Aegypti, transmissor das doenças Dengue, Zika e Chikungunya. A ação integrada de combate ao mosquito foi deflagrada pela Presidência da República,  em parceria com os ministérios do Planejamento e da Saúde.

A Dataprev mobilizou seus empregados em campanhas de conscientização dos perigos das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti e no trabalho de vistoria e  eliminação das  fontes potenciais de hospedagem e reprodução do vetor nos seus ambientes de trabalho em todo o país.  As ações na empresa incluíram desde campanhas de esclarecimento e conscientização das doenças transmitidas pelo mosquito até a promoção de ações preventivas, como o faxinaço nas dependências de suas unidades, no dia 29 de janeiro. A verificação dos ambientes para eliminação dos possíveis focos foi incorporada à rotina de operação dos prédios.

Com a faxina, a empresa iniciou um grande  mutirão para eliminar os focos do mosquito Aedes Aegypti no ambiente de trabalho. O combate ao mosquito na empresa envolveu a confecção e afixação de cartazes, o esclarecimento sobre as doenças transmitidas por ele e as principais formas de prevenção. A campanha na Dataprev foi intensificada em todos os canais de comunicação com os empregados -- inclusive, na rede social corporativa e na intranet. A empresa também promoveu palestras de esclarecimento em diferentes estados.

Inspeção em busca de focos do mosquito - A faxina para eliminar fontes potenciais de hospedagem e  reprodução do Aedes Aegypti nas unidades da Dataprev começou cedo, no dia 29. Envolveu diversas equipes e variadas estratégias de convencimento dos empregados, a exemplo de entrega de  panfletos, colocação de cartazes nos quadros de aviso, bate-papos e vistoria e limpeza nos espaços internos e externos da empresa. Tudo foi inspecionado, inclusive  ralos de banheiros, que foram limpos e vedados, sanitários e bandejas de ar-condicionado e geladeira, na busca de identificar possíveis criadouros do mosquito.


Jardim é vistoriado durante faxinaço realizado no Maranhão, em busca de focos do mosquito

"Precisamos ser fiscais e também multiplicadores das orientações, pois é um caso de saúde pública", disse Sandra Oliveira, coordenadora de Responsabilidade Socioambiental em São Paulo. Ela enfatizou o cuidado que todos devem ter para evitar o mosquito, tanto no trabalho quanto em casa.

A orientação da Coordenação de Promoção de Saúde, Qualidade de Vida e Bem-estar (COQV) é a de incorporar a manutenção semanal dos prédios na rotina de trabalho.  O mutirão promovido pelo governo é o exemplo para que, a partir da limpeza no seu local de trabalho, os empregados da Dataprev se tornem agentes de saúde em suas próprias casas, ruas e bairros, e ajudem a combater a microcefalia no país, causada pelo zika vírus, e as demais doenças.

O país vive um momento único no enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti e o mutirão nos prédios ocupados por órgãos federais é uma resposta engajada e comprometida com a saúde de todos os brasileiros. Neste sentido, é importante destacar que o mutirão é uma iniciativa inicial de um trabalho que deve ser feito de forma contínua pela administração pública federal no combate ao mosquito.

"Nós queremos sensibilizar as pessoas a multiplicar essa batalha contra o mosquito no ambiente  familiar e na rua em que moram. A luta contra o Aedes Aegypti apenas começou. O ovo do mosquito pode levar até um ano hibernando fora da água à espera de um lugar para se multiplicar. Precisamos quebrar esse círculo vicioso fazendo a limpeza dos potenciais locais de criadouro com água e sabão", explicou Marcio Nascimento, em minipalestra na sede da empresa em Botafogo, no Rio.


Panfletos com informações sobre prevenção e combate ao mosquito foram distribuídos aos empregados