Acompanhe a Dataprev

Fórum de TIC Dataprev (Foto: Frankmar Ferreira Fortaleza)O 64º Fórum de TIC Dataprev debateu, na última quarta-feira (11), em Brasília, o teletrabalho, forma de ocupação  exercida a distância, de forma autônoma ou não. O Brasil contabiliza hoje 10,6 milhões de teletrabalhadores, a maioria em São Paulo, de acordo com a ONG Market Analysis.

Durante o evento, foram apresentadas iniciativas implementadas em empresas como a Gol Linhas Aéreas, que mantém 26% de seus atendentes de telemarketing trabalhando em  suas casas. Esse foi um dos casos apresentados no fórum pela gerente nacional  de Smart Oficce da Oi, Ana Mariah Brandão de Carvalho (foto à esquerda). Segundo ela, enquanto a Ticket Alimentação fechou 40% de suas unidades físicas, a IBM registrou um aumento de 50% da produtividade dos empregados do setor que opera a distância. 

A diretora da Sociedade Brasileira da Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt), Joselma Oliveira Goulart  (foto abaixo, à direita), por sua vez, apresentou os resultados da implantação da nova modalidade de trabalho no Serpro, segundo ela o primeiro órgão público a aderir ao teletrabalho. A experiência foi iniciada com um projeto piloto de seis meses em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. 

Para aderir ao teletrabalho, segundo ela, é preciso seguir algumas etapas. “O primeiro passo é um edital de seleção dos empregados que vão para casa, lembrando que o teletrabalho tem que ser uma escolha voluntária”, disse. 

O processo deve incluir ainda a criação de um  comitê e a confecção de um guia de teletrabalho, além de seleção cuidadosa das áreas e dos empregados candidatos e investimentos na infraestrutura dos empregados, com avaliação de todos os itens, inclusive da ergonomia, assim como um balanço periódico dos resultados.

“No Serpro, demos preferência aos empregados com, no mínimo, dois anos de casa, por já possuírem um vínculo com a empresa e um razoável conhecimento das pessoas da área de Recursos Humanos”, lembrou Joselma, para quem o grande responsável pelo sucesso da implantação de teletrabalho é o chefe imediato do empregado que vai ser mandado para casa. “Ele tem que ser capacitado e colocado como parceiro no processo”, enfatizou. 

Carlos Alberto Araújo Netto, do Banco do Brasil, afirmou que o  teletrabalho precisa estar vinculado à estratégia da empresa para ser um processo bem-sucedido. “Trata-se de um desafio estratégico de modernização das relações de trabalho e precisa ficar bem estabelecido em acordo entre as partes”, afirmou. Ele relatou que há 100 teletrabalhadores  no banco, que trabalha com um sistema híbrido nas áreas: “Nunca está em casa 100% da equipe”, assinalou.  

Fórum de TIC Dataprev (Foto: Frankmar Ferreira Fortaleza)O diretor de Pessoas do Banco do Brasil afirmou, ainda, que até o fim do ano o processo vai abarcar os setores de Logística e de Mercado de Capitais da instituição financeira. O BB reúne atualmente 115 mil funcionários e o ganho medido de  produtividade com a modalidade de trabalho a distância foi de 39%. 

Legislação - Ao fazer um balanço dos aspectos jurídicos do teletrabalho, o advogado Wolnei Tadeu Ferreira, diretor jurídico da Sobratt, revelou que já há recomendações e convenções da OIT (Organização Internacional do Trabalho) prevendo esse tipo de labor: a Recomendação 184, de 1997, e a Convenção 177, que entrou em vigor em 2000. “O Brasil não é signatário de nenhuma das duas”, assinalou.

De acordo com a Recomendação da OIT, o teletrabalho “é a forma de trabalho efetuada em lugar distante do escritório central e/ou do centro de produção, que permita a separação física e que implique o uso de uma nova tecnologia facilitadora da comunicação”.

Júlio César Ribeiro, do Serpro apresentou ferramentas usadas para garantir a segurança da informação no trabalho a distância. Mostrou o funcionamento do Serviço de Acesso Remoto (Sar) – Solução o-VPN. O SAR permite o acesso à intranet do Serpro e de seus clientes, estabelecendo conexões virtuais via internet e ligando a rede privada corporativa a escritórios ou funcionários que trabalham a distância.

“O aplicativo Sicar é a chave do processo de implantação do teletrabalho no Serpro”, afirmou Júlio César.

O Sicar é o sistema de cadastramento e gerenciamento de acesso remoto à rede do Serpro. “Ele estabelece quem pode entrar e em qual horário, evitando potenciais problemas de trabalho a distância”, informou ele. Um dos itens do kit do teletrabalhador do Serpro é um ramal de telefonia do órgão, com certificado digital.

Sobre o Fórum de TIC – Realizado desde fevereiro de 2009, o Fórum de TIC Dataprev abre espaço para apresentação de melhores práticas, discussões e trocas de experiência sobre diversos assuntos relacionados à Tecnologia da Informação e Comunicação. Até o momento, a empresa já discutiu temas como inclusão social, redes de telecomunicações, qualidade de dados, banco de dados, acessibilidade, software livre, segurança da informação, novas mídias, cooperação internacional, entre outros.