Ir para o conteudo 1

Ilustração de cadeado com código binário e circuitos ao fundoO Dia da Senha, comemorado em todo o mundo nesta quinta-feira (3), é uma oportunidade para relembrar dicas e orientações de como se construir barreiras fortes o bastante para evitar visitas indesejadas a dados e informações sob nossa guarda. Esses códigos são as chaves que abrem as portas de computadores, sistemas e serviços e combinações eficazes previnem contra invasões.

Segundo Walter Andriola, líder de equipe da Coordenação de Planejamento de SIC e Continuidade de Negócios (COPC), o National Institute for Standards and Technology (NIST) reformulou em junho do ano passado suas diretrizes para políticas de senha, modificando significativamente o gerenciamento de códigos tradicionais.

“Essas diretrizes são um grande modelo para uso dentro de empresas e contas pessoais”, explica. “A reformulação está relacionada às limitações cognitivas das pessoas e ao crescimento exponencial do uso de senhas”, complementa.

Algumas dessas recomendações incluem a possibilidade de senhas longas, com limite de até 64 caracteres e o uso do segundo fator de autenticação, ou seja, a inserção de um número PIN ou o registro da impressão digital. Como quando alguém vai a um banco, insere a senha, e depois precisa posicionar o dedo para sua validação.

Com a atualização, o foco foi direcionado para a usabilidade. Uma vez que é preciso gravar dezenas de senhas diferentes, a ideia é que sejam criadas no formato de frases para facilitar a recordação.

“A melhora da usabilidade tem se revelado uma tendência para alavancar o desenvolvimento tecnológico. Isto é, a tecnologia facilitando o trabalho humano”, explica Andriola.

Ele também destaca que não se deve ter em mente uma combinação difícil, mas sim que faça sentido para quem a criou. Ou seja, a senha tem que ser fácil de ser recordada e difícil de ser adivinhada por terceiros.

“Se há um ponto a ser ressaltado, este seria: use senhas longas. Reunindo três ou mais palavras, que tenha de 5 a 12 letras e não sejam diretamente relacionadas, para evitar obviedades como ‘meu carro é branco’. Desta forma, é possível criar uma senha mais forte do que uma palavra de 8 a 10 caracteres complexos”, finaliza.