Ir para o conteudo 1

Presidente da Dataprev e representantes de outros órgãos sentados à mesa na abertura da Expo TICPensar a tecnologia e a inovação com foco na prestação de serviços públicos de qualidade. Esse foi o tema da Expo TIC Brasília, que aconteceu nesta terça-feira (16) e reuniu, além da Dataprev, a Secretaria de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), a Secretaria de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Vice-Presidência de Tecnologia da Caixa, a Diretoria de Operações do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), a Vice-Presidência Corporativa dos Correios e a Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES).

Usar a tecnologia para prover melhores serviços para o cidadão foi destaque em todas as falas da mesa de abertura do evento. Para o presidente da Dataprev, André Leandro Magalhães, as soluções tecnológicas só atingem seu objetivo no governo se garantirem qualidade de vida à sociedade. O presidente apresentou a Dataprev no evento e convidou os presentes a conhecerem os data centers da empresa.

"A Dataprev tem o aprimoramento das políticas sociais como missão. Investir para facilitar o dia a dia do cidadão brasileiro, que exige cada vez mais tempestividade e qualidade dos serviços que acessa, faz parte da governança da empresa”, afirmou André Leandro. O presidente falou ainda do esforço da empresa para ofertar serviços aderentes ao mercado. "A Dataprev se atualiza constantemente para disponibilizar serviços de tecnologia de ponta. Temos atualmente analytics e nuvem; e a estruturação de uma plataforma blockchain para o sistema da Previdência e a implantação e comercialização de atendimento cognitivo estão entre os desafios da empresa", explicou.

Vivalde Cunha, superintendente executivo da Vice-Presidência Corporativa dos Correios, lembrou que em tempos de digitalização, além de soluções, é preciso pensar nas contingências. “É fácil falar de serviços digitais nos grandes centros. Mas quando olhamos a dimensão desse país, temos ainda uma tarefa muito grande a cumprir, pois 1,5% da população não tem sequer energia elétrica.”

A fala de José Antonio Eirado Neto, vice-presidente de Tecnologia da Caixa, foi no mesmo sentido. "A Caixa ou qualquer outra empresa pública tem sucesso quando a população usa seu produto. Conseguir isso é realizar a nossa função social", defendeu o vice-presidente.
Para o Governo Federal atender seu objetivo de prestar serviços de qualidade, a Secretaria de Política de Informática do MCTIC tem atuado por meio do Plano Nacional de Internet das Coisas, em parcerias com diversos países e blocos do mundo, além de estar estruturando a Estratégia Digital Brasileira (EDB), que envolve oito ministérios incluindo o MCTIC, e a Dataprev.

Maximiliano Martinhão, secretário da pasta, apontou os principais focos da atuação nesse sentido. “Estamos pensando em estrutura, propondo atuação digital no governo, atuando na segurança e na confiança do uso dos TICs, trabalhando pesquisa, desenvolvimento e inovação e incentivando a adoção da economia digital.”

No evento, Maximiliano Martinhão também destacou a atuação da Dataprev que, de acordo com ele, tem desenvolvido trabalho de enorme qualidade. Algumas das soluções desenvolvidas pela empresa foram apresentada a ele em visita ao data center de Brasília. “São as TICs que permitirão ao Brasil superar muitos dos seus desafios e aumentar a competitividade”, concluiu.

Último a se apresentar, Marcelo Pagotti, secretario de Tecnologia da Informação do MPDG, afirmou que vivemos na era do compartilhamento de ideias, objetivo também da Expo TIC. “O desafio é entender como vamos construir uma TI melhor para o governo e para o cidadão. Já temos a melhor tecnologia bancária e de eleição da América Latina, compartilhar informações vai nos garantir uma TI mais forte em outras áreas,” completou Pagotti. O secretário falou ainda da GovData, plataforma desenvolvida em parceria com a Dataprev, que reúne as 30 bases de dados mais usadas pelos órgãos do Governo Federal, lançada no dia 5 de maio, em Brasília.

Ainda pela manhã, a Dataprev, representada por Helton Moreira, superintendente de Operações (SUOP), participou como moderadora do painel "O caminho do governo na nuvem", que contou com Alexandre Conceição, gerente geral de TI da DITEC do Banco do Brasil; Iran Martins Porto, diretor de Operações do Serpro; e Rafael Novo, consultor para Aplicações e Computação em Nuvem, da Dell EMC.

Na oportunidade, o Serpro apresentou seu projeto de estaleiro, que elimina a segmentação física de ambientes de desenvolvimento, homologação e produção; o Banco do Brasil falou dos casos em que deve-se optar por nuvem pública (sistemas periféricos), híbrida (sistemas complementares) ou privada (sistemas essenciais); e a Dell EMC apresentou dado do Gartner que aponta que 90% das empresas têm optado por manter aplicações tradicionais em nuvem privada e inovação em nuvem pública.