Ir para o conteudo 1

Equipe da Dataprev recebe prêmio: da esquerda para direita, Daniella Clark, Fabio Gameleira e Flavia CunhaO Portal Dataprev ficou em primeiro lugar na categoria "Projetos Web Governamentais" do Todos@Web, Prêmio Nacional de Acessibilidade na Web 2016. A cerimônia de premiação foi realizada nesta quinta-feira (15), no Rio de Janeiro, no Rio Mídia Center. O prêmio é uma iniciativa do Centro de Estudos sobre Tecnologias Web (Ceweb.br) e do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), em parceria com o W3C Brasil. O objetivo é promover e premiar ações das empresas públicas e privadas em favor da acessibilidade na web, que permitem o acesso à informação por pessoas com deficiência.

Atletas paralímpicos participaram da cerimônia, como Jonathan de Souza Santos, do arremesso de peso na categoria F40, que entregou ao professor da UFRJ José Antonio Santos Borges o prêmio na categoria pessoa/instituição. Já o campeão paralímpico Alessandro Rodrigo Silva (foto abaixo, à direita), medalhista de ouro no lançamento de disco, entregou o Prêmio MAQ de Acessibilidade na Web ao representante do Portal Unimed Fortaleza, Augusto Coelho. O nome do Prêmio MAQ é uma homenagem a Marco Antonio de Queiroz, defensor do direito ao acesso das pessoas com deficiência, que faleceu em 2013.

O Portal Dataprev (http://www.dataprev.gov.br/) foi lançado em 4 de novembro de 2015 e recebe agora o reconhecimento como uma iniciativa no âmbito do governo que contribui para a criação de uma web acessível para todos, em qualquer dispositivo, em qualquer lugar, segura e confiável. Segundo a organização do prêmio, atualmente, apenas cerca de 2% do total de mais 6 milhões de páginas de órgãos públicos brasileiros analisados seguem os padrões web de acessibilidade, que permitem o acesso à informação por pessoas com deficiência. No setor privado, estima-se que a percentagem seja similar.

Campeão paralímpico Alessandro Rodrigo Silva fala durante a cerimôniaO Portal Dataprev foi representado durante a cerimônia de premiação por Fabio Gameleira, analista de TI da Unidade de Desenvolvimento da Dataprev no Rio de Janeiro (UDRJ), além de Daniella Clark e Flavia Cunha, da equipe da Coordenação-geral de Comunicação Social da empresa.

"O mais importante é que, acima de tudo, esse prêmio poderá servir como exemplo para outros sites de governo", ressaltou Fabio Gameleira. "O Portal Dataprev conta, por exemplo, com carrossel de imagens, galeria de fotos, entre outros elementos que normalmente não são acessíveis.  Com o nosso portal conseguimos demonstrar que qualquer site pode ser acessível, ele não precisa ser especial para ser acessível. É fazer o seu site, com seus requisitos, colocando desde o início o conceito da acessibilidade".

O Portal Dataprev é aderente aos padrões internacionais de desenvolvimento web (HTML5.1 e CSS 3), que possibilitam a construção de produtos de qualidade e contribuem para uma web acessível para todos. O portal segue ainda as orientações para padronização da comunicação de órgãos e entidades do governo federal em ambientes digitais, além de ser aderente a diretrizes e padrões nacionais (e-MAG - Modelo de acessibilidade do governo federal) e internacionais (W3C/ WCAG 2.0 - Web Content Acessibility Guidelines) de acessibilidade.

"O portal já nasceu com a diretriz técnica de compreender as necessidades de usabilidade de todos os cidadãos, por meio da aplicação de padrões internacionais e nacionais de acessibilidade". afirmou a coordenadora-geral de Comunicação Social, Marjorie Bastos. "Dedico esse prêmio a toda equipe da Coordenação-Geral de Comunicação Social. O Portal Dataprev é um dos projetos que mais tenho orgulho".

Vencedores - Os demais vencedores na categoria "Projetos Web Governamentais" foram o site do Núcleo de Acessibilidade e Usabilidade da Unirio, que conquistou o segundo lugar, e o Portal de Serviços de Vitória, que ficou com a terceira colocação.

Na categoria Aplicativos/ Tecnologia Assistiva, o vencedor foi o VLibras, site que permite a tradução do português para LIBRAS em tempo real. O segundo lugar foi conquistado pelo avaliador e simulador de acessibilidade ASES. Em terceiro lugar ficou o F123 Access. Na categoria Projetos Web Sociedade, o primeiro lugar foi conquistado pelo Portal Unimed Fortaleza. Em segundo lugar ficou o website da cantora Luiza Caspary e, em terceiro, o A1Br.org, portal de notícias acessível.

O evento discutiu temas como os 20 anos de iniciativas e desenvolvimentos no Brasil e a relação da acessibilidade na web com a legislação brasileira. O último painel debateu a importância da acessibilidade na web para a produção de conteúdo na rede. Jornalistas e representantes de agências digitais abordaram os principais tópicos sobre a publicação de conteúdo acessível na internet.

"Navego muito em busca de conteúdo e em um site acessível você consegue sentir o que foi projetado, o que não é acessível por acidente. Em um site que tem o 'saltar à navegação', que tem as descrições das imagens, por exemplo, você se sente incluído naquilo, você é um consumidor também. Não é porque você tem deficiência que consome menos do que outras pessoas", disse o jornalista Marcos Lima, deficiente visual, que atualmente trabalha no Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. "Em muitos sites, eu sinto que acesso pela porta dos fundos. Já quando fazem algo para você, pensando em alguém com as suas características, você se sente entrando pela porta da frente. Você se sente incluído".

Vencedores de todas as categorias se reúnem no palco da premiação