Ir para o conteudo 1

Vencedores do Hackathon posam para foto com diretores Matheus Belin e Ricardo Junqueira.A história do Hacktudo, festival de cultura digital patrocinado pela Dataprev via Lei do ISS do Rio, pode ser contada de diversas maneiras. Para os participantes do Hackathon Dataprev 2018, Vinícius Poswar, Claudemir Brum, Fabiano Alencar e Rodrigo Monteiro, da equipe Datamagic, o melhor relato irá destacar um anúncio feito às 19h22 de domingo (4). Foi nesse horário que o 4º grupo a apresentar o resultado de mais de 50 horas ininterruptas de trabalho soube que era o vencedor da maratona de programação realizada no fim de semana.

É o segundo ano que a Dataprev patrocina o Hacktudo. O festival tem uma extensa programação de oficinas, palestras, mostras, exposições, competições de robôs e drones, música e uma área de maratonas, incluindo a realizada pela Dataprev. Com atividades tão variadas não é de se estranhar o público presente nos três dias de evento. Crianças tendo a primeira experiência com um drone; adolescentes conhecendo grandes empresas de tecnologia e oportunidades de carreira; adultos refletindo sobre o impacto do mundo high-tech na sociedade; e companhias em busca de novos talentos são perfis comuns no Hacktudo.

Foi nessa atmosfera propicia à inovação que 20 empregados da Dataprev passaram os últimos dias propondo aplicações que podem atender aos clientes atuais da empresa ou significar a entrada de novos. Com largada às 10h de sexta-feira (2), após abertura oficial no dia anterior pelo presidente André Leandro Magalhães, as primeiras horas de competição foram de ajustes e definição de rumos. Trabalhando em propostas apresentados pela Superintendência de Negócios e Inovação, os grupos se debruçaram para solucionar problemas relacionados à educação, mobilidade, segurança pública e serviços do Governo Federal.

Com ideias formatadas, chegou a hora de transformar inspiração em transpiração. Em três dias de festival, a dedicação foi exclusiva. Para não perder tempo, cada grupo organizou escalas de descanso e pausas para se alimentar. Faltando 12 horas para o cronometro zerar, todos os grupos tinham avançado em suas soluções e começaram a se preparar para a apresentação das aplicações e para responder questionamentos dos jurados Matheus Belin, diretor de Tecnologia e Operações, Edmar Ferreira, superintendente de Negócios e Inovação, Gilmar Queiroz, superintendente de Relacionamento e Gestão de Serviços, Diogo Pizaneschi, superintendente de Desenvolvimento de Software, e Maria Cristina Basili Duarte, gerente do Departamento de Negócios e Modelagem de Serviço.

Com ordem definida por sorteio com representantes de todas as equipes, se apresentaram os times “null”, “Team Name Not Found”, “vai_na_sort()”, “Datamagic” e “Hello World”. Investir em educação foi a aposta da solução apresentada pelo “null”. O grupo desenvolveu um aplicativo de orientação vocacional para que os estudantes possam estar melhor preparados para responder às demandas do mercado de trabalho no futuro. Em seguida, o grupo “Team Name Not Found” propôs um aplicativo de agendamento de serviços de todo o Governo Federal. Com uso de bots e machine learning a proposta era integrar o governo e levar isso para o celular do cidadão.

Outro projeto fora do catálogo atual da Dataprev foi o aplicativo proposto pela equipe “vai_na_sort()”. A solução apresentada pelo grupo facilita a mobilidade de cidadãos com deficiência. Na primeira versão do aplicativo já seria possível buscar vagas de estacionamento exclusivas, simular rotas acessíveis, fazer rankings colaborativos de estabelecimentos e registrar alertas de obstáculos, como calçadas danificadas, por exemplo. A solução apresentada pelo grupo “Datamagic” visa resolver um problema que todo cidadão já enfrentou: a necessidade de declarar mais de uma vez a mesma informação para diferentes órgãos de governo. Baseada em Blockchain, a solução “cidadão digital” permitiria que a instituição detentora dos dados definisse quais informações compartilhar e o usuário autorizasse o acesso entre órgãos.

“Hello World” fez a última apresentação da noite e trouxe a possibilidade de solucionar problemas de segurança pública para o catálogo de serviços desenvolvidos pela Dataprev. O grupo apresentou o contexto de segurança atual, a Lei 13.675/2018, que disciplina a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, e apontou os ganhos de centralizar informações de ocorrências policiais. A tecnologia central da solução foi a análise de grandes massas de dados para extrair insights que ajudariam a formular políticas públicas.

Após as apresentações, os jurados se reuniram para deliberar sobre as soluções e eleger um vencedor. O momento final do dia teve uma saudação do diretor de Relacionamento, Desenvolvimento e Informações e presidente substituto, Ricardo Junqueira. “Vocês entregaram em apenas três dias soluções bem estruturadas e prontas para serem apresentadas para o cidadão. Sejamos multiplicadores desse empenho dentro e fora da Dataprev”, parabenizou.

Matheus Belin fez uma avaliação das apresentações e, após quase 60 horas de uma jornada de aprendizado e ricos brainstormings, anunciou o vencedor do Hackathon Dataprev 2018. “Eu vi hoje cinco propostas focadas na razão de ser da Dataprev, o cidadão. Foi escolhido um vencedor, mas todos demonstraram o que é o coração da empresa e o que ela é capaz de entregar”, destacou Matheus Belin. Além de contribuir para o futuro do governo digital brasileiro, a equipe “Datamagic” embarca em janeiro para Las Vegas, onde participará do Customer Technology Association 2019.