Ir para o conteudo 1

Homem posiciona câmera do celular na frente do rostoCom o uso de biometria digital e facial e por meio de um smartphone, segurados do INSS poderão, a partir deste ano, realizar a prova de vida sem sair de casa, pelo aplicativo Meu INSS. O objetivo é que idosos possam cumprir a exigência sem precisar ir até uma agência bancária, principalmente aqueles com mais dificuldades de locomoção. Atualmente, a comprovação é feita anualmente.

O projeto é uma parceria da Dataprev e do próprio instituto. Todo o processo foi gerado e conduzido pelo laboratório de inovação da estatal, que tem como foco a experimentação de novas oportunidades e a transformação de boas ideias em produtos e serviços inovadores.

O piloto com as duas tecnologias (biometria digital e facial) será lançado em agosto em 15 municípios de diferentes regiões do país, em locais definidos pelo próprio INSS. A expectativa é que, com o resultado dessas experiências e com base nas informações que o governo já possui da população, novas possibilidades que simplifiquem a vida dos brasileiros surjam, como a realização da prova de vida a partir da voz ou a validação biométrica para outros serviços.
 
Gestor do projeto na Dataprev e gerente do Departamento de Inovação, William Veronesi explica que uma das bases de dados a ser usada para a conferência das informações será a do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que já possui cerca de 100 milhões de dados biométricos. O procedimento, segundo ele, é bem simples e intuitivo.

“Ao acessar o Meu INSS, o segurado encontrará a nova funcionalidade Prova de Vida. O sistema passará, então, a dar as orientações ao segurado, como posicionar a mão na frente da câmera do smartphone para que seja feita a captura das digitais e a conferência com a base do TSE. No caso do reconhecimento facial, outras instruções serão repassadas, como movimentar a cabeça, piscar, olhar para cima, para baixo ou para os lados, comprovando com os movimentos que ele está vivo”, resume Veronesi.

Idosos que não possuem smartphone ou que tenham alguma dificuldade com o uso de tecnologia podem solicitar ajuda para fazer a comprovação de forma remota.

“A validação biométrica a distância pode ser feita usando qualquer smartphone. Então, uma pessoa mais familiarizada com o aparelho pode segurá-lo e passar as orientações ao beneficiário, como olhar para a câmera e dizer quais sinais ele deve fazer”, cita Veronesi. O resultado, confirmando ou não a prova de vida, é informado logo após o procedimento. Quem preferir pode continuar fazendo a comprovação presencialmente nos bancos.  

O projeto vem evoluindo com a Transformação Digital do INSS, e a Prova de Vida será o 91º serviço do órgão a ser automatizado. Equipes das Unidades de Desenvolvimento do Ceará e da Paraíba (UDCE e UDPB) da Dataprev estão trabalhando em conjunto para o lançamento da nova funcionalidade ainda em 2019.

“O INSS é o principal patrocinador dessa iniciativa. E a Dataprev, como uma empresa que busca diariamente ser referência em soluções digitais de governo, acredita que a validação biométrica abre espaço para inúmeras oportunidades. Além disso, existe também o aspecto social. São mais de 35 milhões de beneficiários do INSS e milhares precisam fazer a prova de vida diariamente nos bancos. Com a automatização, o cidadão economiza tempo e dinheiro, já que evita as filas e o gasto com o deslocamento”, conclui André Côrte, diretor de Relacionamento e Negócio.