Acompanhe a Dataprev

Larissa IbiapinaNo Brasil, apenas 20% de 580 mil funcionários de Tecnologia da Informação (TI) são do sexo feminino, como mostram dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2016. Mesmo em meio ao setor predominantemente masculino, a Dataprev possui mais mulheres no efetivo da empresa do que a média nacional na área de TI. A força de trabalho feminina é de 29,5% e as profissionais exercem papel importante em diferentes áreas. São 548 mulheres que atuam nas diretorias de Tecnologia e Operações, Desenvolvimento e Serviço e Relacionamento e Negócio. 
 
Entre elas está Larissa Ibiapina (foto à esquerda), gerente da Divisão de Fomento à Inovação e a única mulher do seu departamento. Formada em análise de desenvolvimento de sistemas, começou sua jornada na empresa em 2016, passando por diversas áreas. “Aqui não vejo diferença no tratamento de homens e mulheres. Trabalhamos todos juntos para entregar sempre o melhor resultado”, explicou a gerente. 
 
Danuza NeivaPara entender melhor o desfalque feminino na área de tecnologia, o Information Systems Audit and Control Association (ISACA) fez um estudo em 2017 apontando que apenas 21% dos cargos executivos em tecnologias são ocupados por mulheres. Mas o cenário já tem mostrado mudanças, como é o caso da Dataprev. Nesta semana, a Revista Forbes destacou 17 personagens femininas que estão mudando a cara da tecnologia, entre as 100 mulheres mais poderosas no mundo.
 
A ONU Mulheres, em 2019, apontou que os profissionais do setor de TI continuam majoritariamente masculino. O efetivo feminino na área é menor que 30%. 
 
Neste contexto, a mestre em Ciência da Computação e UX Designer da Dataprev, Danuza Neiva (à direita), ressalta que ser mulher na área de TI é ainda desafiador e ao mesmo tempo oportuno. ”Em uma área masculina, há ainda preconceitos e brincadeiras que não são mais toleráveis em dias atuais”, ressalta.
 
Responsabilidade Social
 
Caroline Costa, superintendente de Governança e Gestão EstratégicaEntre as iniciativas da Dataprev voltadas para as mulheres, estão a destinação de 50% das vagas do Programa Jovem Aprendiz para o público feminino, além da participação no Programa Empresa Cidadã, que prevê a prorrogação por 60 dias da duração da licença-maternidade.
 
A empresa conta ainda com o benefício de redução de carga horária para mulheres com filhos de até um ano de idade que apresentem alguma condição especial de saúde e precisem ser amamentados por mais tempo.
 
Confira alguns depoimentos das profissionais da Dataprev
 
A advogada Caroline Costa (à esquerda) ingressou na Dataprev em 2007, no Departamento Jurídico. Ela atua como superintendente de Governança e Gestão Estratégica, cargo que ocupa desde 2018.
 
Vanessa Cabral“À medida em que crescemos na carreira, vamos nos deparando com mais dificuldades no que tange ao respeito à figura feminina e tento tratar isso de uma forma profissional e leve”, contou a superintendente.
 
Fátima CaminhaJá Vanessa Cabral (à direita), gerente do Serviço de Gestão Administrativa de Pessoas em Natal, no Rio Grande do Norte, é uma das 392 mulheres que hoje compõem a Diretoria de Administração e Pessoas. “Reconheço as inúmeras dificuldades que enfrentamos como mulheres: é uma liderança em que há necessidade muitas vezes de afirmação constante, busca pelo reconhecimento permanente, pela igualdade na escuta e fala, dentre outras tantas”, explica.
 
A analista Fátima Caminha, que hoje atua na área de Saúde e Qualidade de Vida, está há 41 anos na Dataprev, tempo em que conciliou a atuação profissional com o cuidado dos filhos, hoje já casados.
 
“Hoje meus filhos já são casados, moram no Canadá e em Belo Horizonte. Já tenho até netos”, conta Fátima. “Eu abracei as oportunidades que eu tive. Consegui atuar no que eu sempre estudei”.
 
 
Infográfico