Acompanhe a Dataprev

A sociedade 5.0 foi o mote da apresentação dos diretores de Desenvolvimento e Serviço, André Côrte, e de Tecnologia e Operações, Thiago Oliveira, realizada nesta segunda-feira (9). Palestrantes de painel sobre tecnologia durante o 1º Encontro de Dirigentes da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, os diretores apresentaram a capacidade produtiva da empresa, o legado de serviços acessíveis disponibilizados para os cidadãos e os desafios para o futuro, com uma sociedade cada vez mais conectada e exigente.

A aplicação Prova de Vida, destaque na fala do ministro Paulo Guedes no mesmo encontro, figurou ao lado de soluções como mais de 90 serviços digitais do Meu INSS, projeto Agenda Única, Seguro-Desemprego 100% web, b-CPF, entre outros, apresentadas por André Côrte. O diretor destacou ainda o impacto dos serviços entregues ao longo do ano para o cidadão. “Não é possível dar um passo atrás e entregar menos que o cidadão recebe hoje. A sociedade quer mais serviços digitais e eles precisam ter qualidade”, apontou André Côrte.

Em um cenário de tantas mudanças, a Dataprev se prepara para entregar aos clientes tecnologias como atendimento omnichannel, Big Data, Blockchain, automação de benefícios com Inteligência Artificial, além de interfaces adaptativas e ampliação dos serviços baseados em API. “Estamos trabalhando para que a Dataprev seja a Plataforma Social do Governo. A nossa força de trabalho aliada aos centros de excelência da Dataprev em IoT, Big Data, I.A., UX e Blockchain é o caminho para que o Brasil chegue ao patamar de países como o Japão, que já integrou a tecnologia ao dia a dia da população”, concluiu o diretor.

Para que toda essa transformação seja possível, a operação da Dataprev vive uma verdadeira revolução. Tratando mais de 115 mil incidentes e requisições de mudança e serviço, a empresa conta atualmente com mais de 2.300 ambientes nos quais estão instalados cerca de 280 serviços. Chegar a esta capacidade exigiu a completa reformulação do parque tecnológico da Dataprev, que se tornou a primeira empresa pública do país a receber o selo Operational Sustainability em todos os seus data centers e completar o ciclo Tier III.

“Passamos de um modelo em que os serviços eram prestados em uma agência física, de segunda à sexta-feira, em horário comercial, para um modelo com agências físicas e digitais, home office e autosserviço. Isso significa trabalho contínuo 24 horas por dia, sete dias por semana, contou o diretor Thiago Oliveira.

De acordo com Thiago Oliveira, esse cenário gera desafios de resiliência, disponibilidade e desempenho. Além disso, as paradas programadas passam a exigir cada vez mais preparação. “Aconteceu a mesma mudança com a Fórmula 1. Em 1950, um pit stop levava em média um minuto. Em 2019, as equipes são preparadas para que a parada seja quase imperceptível. Há registro de um pit stop realizado em 1,82 segundos. Essa é a meta de avanço que a Dataprev tem”, destacou o diretor.

A operação de serviços 5.0 irá exigir da Dataprev alta disponibilidade e performance, conectividade, revisão do calendário de paradas programadas conjuntamente com a disponibilidade de funcionalidades e serviços críticos. Para isso, a empresa trabalha em duas linhas: preparação de um redteam e análise crítica de desempenho dos serviços. Com o redteam, a operação da Dataprev deixou de ser segregada geograficamente e passou a atuar em frentes de operação, suporte, gestão e segurança sem a limitação física anterior. O trabalho também irá mudar com a nova proposta de equipe. Os incidentes e salas de crise darão lugar à prevenção e tuning. Com isso, a meta da Dataprev é chegar a dezembro de 2020 com 99% de desempenho dos serviços.