Ir para o conteudo 1 Ir para o menu principal2 Pular lista Órgãos de Governo3

Usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no Portal Dataprev. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nosso Aviso de PrivacidadeAo continuar navegando, você confirma que leu, compreendeu e consente com a utilização de cookies.

Atualizado em: 
qui, 28/03/2024 - 12:08

Sistema de reúso pluvial, em Brasília, atende aos princípios de sustentabilidade, economicidade, segurança e integridade da saúde dos usuários

arte com mar ao fundo e uma mão segurando uma ilustração de um mundo em miniaturaDesde 2016, o edifício-sede da Dataprev, em Brasília, tem em operação metodologias para redução do consumo de água em instalações sanitárias, a exemplo de torneiras automáticas, mictórios ecológicos e reservatório de reúso de água. A medida faz parte de uma conscientização global da necessidade do uso racional dos recursos naturais e da proteção contra a degradação ambiental. O objetivo é evitar o desperdício e incentivar padrões tecnológicos de baixo impacto ao meio ambiente. 

Uma dessas metodologias é o sistema de aproveitamento da água da chuva, onde o recurso hídrico é captado no telhado do bloco E, e, posteriormente, utilizado para a descarga dos vasos sanitários no edifício, ou seja, para fins não potáveis. Esse sistema ajudou a difundir a cultura de reúso dentro da empresa, ou seja, a importância da conscientização da economia da água. 

Para Edson Gonzaga e Helder Schumann, que atuam no Serviço de Gestão de Ambientes do DF, o sistema demonstra como uma simples iniciativa de coleta e reúso, difunde a cultura da economia e o combate ao desperdício da água. “Nosso sistema foi executado com baixo custo e dentro das normas técnicas reguladoras (Caesb/Adasa), motivo de reconhecimento e orgulho para todos os empregados e colaboradores em geral”, comentou Edson. 

Citam ainda, que “o sistema instalado na Dataprev, permite receber para o reaproveitamento, boa parte da água descartada nos procedimentos de limpeza, higienização e testes dos reservatórios d´água das edificações e, também, dos sistemas de incêndio, ou seja, focando o uso racional dos recursos disponíveis e úteis, sem conexões cruzadas e sem riscos de contaminação”, complementou Edson Gonzaga. 

Outra iniciativa relacionada à água é que, mensalmente, os padrões de potabilidade da água para consumo são avaliados em conformidade com os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Dessa forma, a empresa garante que a água distribuída está livre de substâncias que podem prejudicar a saúde das pessoas.  

O gerente executivo do Departamento de Gestão de Ambiente, Eduardo da Costa Sousa, reforça que “a adoção de práticas sustentáveis está alinhada ao planejamento estratégico da Dataprev. Estamos comprometidos em alinhar nossas operações com os princípios de ASG (Ambiental, Social e Governança), garantindo que nossas ações estejam em conformidade com as melhores práticas de sustentabilidade”.  

Como funciona o Sistema de aproveitamento da água da chuva  

O Sistema de Aproveitamento de Água Pluvial do edifício-sede da Dataprev, em Brasília, intercepta e armazena parte da água da chuva captada na cobertura do bloco, destinada exclusivamente para descarga dos vasos sanitários. Na prática, o Sistema de Aproveitamento é composto por duas fases, captação através dos ralos das calhas da cobertura do prédio, além do armazenamento de água pluvial sem impurezas ou admissão de água potável em tempos de seca.  

A fase ou estágio um é a captação da água nas calhas, que, em seguida, é levada para um reservatório no subsolo (separadas das demais caixas pluviais) com oito mil litros, sob o piso do segundo subsolo do prédio. É lá que a água é tratada, principalmente por decantação, depois por métodos de troca de registro, a água é direcionada para o uso nos vasos sanitários.  

Já a parte dois consiste no armazenamento da água da chuva quando há ausência de precipitação, feito em quatro reservatórios totalizando 4000 litros, em polietileno, com tampa. Como alternativa, nos períodos de seca, os reservatórios podem ser alimentados com água potável da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), sendo que esse abastecimento ocorre sem que haja contaminação da água potável pelo Sistema de Aproveitamento Pluvial.  

Guardiões da água na Dataprev

A gestão e manutenção do Sistema é feito pela equipe de colaboradores da Dataprev, incluindo a limpeza que pode ser semestral, trimestral ou anual. Luciano Oliveira e Almir Pereira são as pessoas que trabalham para garantir que a troca de registros seja feita da forma correta, além do tratamento da água antes do destino final.  

Muito mais que o aproveitamento da água da chuva  

As descargas dos banheiros do edifício-sede da Dataprev em Brasília contam com válvulas de duplo acionamento, que evitam o gasto excessivo de água. Os mictórios são ecológicos, sem o uso da água. As torneiras na Dataprev em Brasília são inteligentes, com sensores que controlam a saída de água de acordo com a aproximação das mãos e reduzem o consumo em comparação com as convencionais.  

A limpeza de áreas comuns é feita a seco e quando os reservatórios são higienizados, a água também é reutilizada, principalmente para lavação externa.  

caixas dagua que captam água da chuva no telhado do edificio-sedeNo prédio da Dataprev no Rio de Janeiro, na Rua Álvaro Rodrigues, está acontecendo uma reforma hidrossanitária nos banheiros: consiste na instalação de novas torneiras com fechamento automático (temporizador), válvulas de descarga com duas teclas (restritor de fluxo de água) e válvulas de mictório (nos banheiros masculinos) com fechamento automático (temporizador). 

Sobre o Dia Mundial da Água  

No dia 22 de março de 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu o Dia Mundial da Água, uma iniciativa global para destacar as questões cruciais relacionadas à água e promover a conscientização sobre a importância desse recurso.