Ir para o conteudo 1

Usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no Portal Dataprev. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nosso Aviso de PrivacidadeAo continuar navegando, você confirma que leu, compreendeu e consente com a utilização de cookies.

Atualizado em: 
qui, 29/09/2022 - 12:00

Resultado positivo ocorreu em todos os setores da economia, segundo o Novo Caged. Dados são compilados em sistemas desenvolvidos pela Dataprev

 

O Brasil manteve o forte ritmo de geração de empregos com carteira assinada, alcançando um saldo positivo de 278.639 postos de trabalho formais no mês de agosto, segundo dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados do MTP (Novo Caged). De janeiro a agosto, o saldo chegou a 1.853.298 postos gerados no ano, decorrente de 15.653.839 admissões e 13.800.541 desligamentos no período. Se considerados os últimos 12 meses, o total de empregos gerados chega a 2.455.662 postos formais.

Compilados em sistemas desenvolvidos pela Dataprev para o MTP, os dados de agosto demonstram ainda que, somente no intervalo de julho de 2020 a agosto de 2022 – considerado período de retomada do emprego formal –, o país registrou saldo de 5.836.476 postos de trabalho, alcançando um estoque recorde histórico de 42.531.653 empregos formais registrados no Novo Caged.

 

As informações foram divulgadas, nesta quinta-feira (29), por meio de entrevista coletiva no Ministério do Trabalho e Previdência.

Dados regionais e por setor

O resultado positivo ocorreu em todos os setores da economia nas 27 Unidades da Federação, com destaque para São Paulo, que gerou no mês 74.973 postos de trabalho. A região Nordeste foi o grande destaque regional, com crescimento de 0,96% da força de trabalho, o maior crescimento relativo entre as cinco regiões brasileiras.

O setor de Serviços apresentou ótimo desempenho no mês, gerando 141.113 vagas, seguido pela indústria – setor que obteve o segundo maior crescimento –, gerando 52.760 postos formais, mostrando a sustentação de sua retomada. Também foram positivos os saldos do comércio, (41.886); a construção civil, (35.156) e a agropecuária que gerou 7.724 vagas no mês.

Já a construção civil teve o desempenho mais destacado no acumulado do ano, com um crescimento de 10,89%, assim como o bom desempenho foi verificado em todos os demais setores da economia – também com saldos positivos no ano. O setor de Serviços obteve 1.027.288 vagas geradas e a indústria 319.379 novos postos gerados no período.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência, outro destaque de agosto foi o salário médio real de admissão, que apresentou crescimento pelo terceiro mês seguido, fruto do aquecimento do mercado de trabalho e do sucesso das políticas de controle da inflação do governo.

Os dados completos do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) de agosto podem ser acessados aqui.

*** Com informações do Ministério do Trabalho e Previdência.