Ir para o conteudo 1

Edgard Prates fala durante o evento“Erre rápido para acertar rápido. Discuta o que aprendeu. Compartilhe o conhecimento”. Com essas proposições, o técnico da Superintendência de Atendimento (SUAT) Edgard Prates concluiu a palestra “Lições Aprendidas do Programa CzRM da Dataprev”, apresentada no V Seminário de Gestão do Conhecimento em Projetos, realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), na quarta-feira (5).

No evento, Prates partiu do desafio de implementar uma nova cultura de atendimento digital na empresa por meio da implantação da Plataforma Multicanal de Atendimento Digital - CzRM. A exposição foi dividida em quatro etapas: estratégia, escopo, organização e projetos.

Em cada uma delas, Prates enumerou as principais lições aprendidas. Em relação à estratégia, a implementação foi dividida em três ondas. “A primeira (onda) foi a de configuração e disponibilização da plataforma para o atendimento ao serviço de TI Interna para o usuário. A segunda é relativa à expansão da plataforma para o atendimento aos clientes da Dataprev e a terceira diz respeito ao Marketing Digital”.

Uma vez apresentadas as ondas, Prates comentou as principais lições aprendidas destacando a importância do entendimento do cenário político e estratégico; do alinhamento de diretrizes estratégicas e de tornar claro o objetivo específico e as expectativas.

“Explicite o óbvio; certifique-se de que você entendeu o que deve ser feito; não se perca com artefatos desnecessários; elabore um bom cronograma e não pense apenas no produto: pense na solução”, comentou Prates, ao abordar o escopo da implantação.

Em seguida, o analista comentou a organização do programa. Nessa parte da palestra, foram destacados aspectos como a importância da escolha as pessoas certas para o papel certo; a necessidade da elaboração e execução de um plano de comunicação, entre outros.

Na parte final da palestra, Prates apresentou um cronograma com os principais marcos da primeira onda de implementação. Ao falar sobre lições aprendidas, orientou a não subestimar a necessidade de gerentes; exigir um status report que reflita de fato a realidade do projeto; gerenciar com precisão as dependências entre os projetos; priorizar o que realmente é importante e a agir para não permitir que o cronograma atrase um dia todos os dias. Prates encerrou sua participação no evento participando de um painel intitulado “Aprendendo mais e errando menos em projetos”. 

O V Seminário de Gestão do Conhecimento em Projetos é uma iniciativa do PMI Chapter Rio de Janeiro (PMI Rio). O convite para essa palestra surgiu de Luiz Henrique Souza, Vice-Presidente Executivo do PMI Rio. Também foram convidados para participar e assistir o evento pelo PMI Rio, o escritório de projetos corporativo, representado pelo coordenador de Projetos (COPJ), Luiz Coutinho.